Excesso de Informação e Multipotencialidade: Como Sobreviver Sem Enlouquecer?

Tempo de leitura: 12 minutos

excesso de informação e multipotencialidade
Crédito: Unsplash
Sou uma multipotencial típica, por isso, sempre que tenho uma oportunidade de aprender algo novo, tenho muita dificuldade em desapegar dela. A caixa de entrada do meu e-mail é um amontoado de cursos online nos quais me inscrevi e ainda não consegui nem abrir; links para artigos interessantes que não quero deixar de ler e vídeos que preciso assistir (alguns de 5 minutos, outros de 4 horas).
Quando não estou olhando para essa caixa de entrada assustadora, constantemente me lembrando que tenho umas 24 horas de conteúdo para aprender e assimilar, estou olhando para as dezenas de abas abertas no navegador.
Dentro de poucos minutos na internet, redes sociais e e-mail, as abas já estão todas ali. Cada uma delas associada à alguma atividade que pretendo finalizar ainda naquele dia, seja terminar a leitura de um artigo ou finalizar uma pesquisa.
Sobre minha lista de livros para ler… Preciso de umas 3 vidas para completa-la. Sem contar os links que coleciono para depois. E, por muitas vezes, enviei por e-mail para mim mesma (esse foi um hábito que me esforcei para eliminar para não enlouquecer).
Nós multipotenciais somos muito diversos. Cada um com seus interesses, paixões, áreas e caminhos diferentes. Mas uma coisa temos em comum: somos viciados em informação. O cérebro do multipotencial se agita com a possibilidade de aprender coisas novas e entender o que não entendia antes. Essa é uma das nossas maiores qualidades. Mas pode se tornar um problema, acabando com nosso foco e produtividade.
Além disso, vivemos na era da informação. A era da comunicação rápida e em tempo real. Temos um mundo de informações à disposição, infinitos canais para busca-las e uma quantidade cada vez maior de conteúdo a apenas um clique de distância. Informação rápida, barata e em abundância. Para o multipotencial, o sonho de viver essa era pode, facilmente, tornar-se um pesadelo.
Imagino que você seja como eu, sempre com várias abas abertas, se inscrevendo em newsletters sobre alimentação saudável, física quântica e design de interiores. Você valoriza muito a informação e, por isso, não consegue apenas fechar o navegador e esquecer todo aquele belo aprendizado em potencial.
Hoje, é impossível escapar da facilidade, rapidez e excesso de informação. Por isso, neste artigo, você vai encontrar 5 dicas de como conviver melhor com isso.

FOMO: FEAR OF MISSING OUT

Crédito: Unsplash
Crédito: Unsplash
O FOMO, ou em bom português, medo de ficar de fora, é um fenômeno comum nos dias de hoje. A sigla foi cunhada pelo New York Times e, em 2013, foi incluída no dicionário de inglês Oxford. O termo se refere ao medo generalizado de perder alguma informação interessante, importante ou divertida e à nossa necessidade de estarmos sempre atualizados e conectados.
As mídias sociais são grandes aliadas do FOMO, são elas que trazem para baixo do nariz todas as informações que ainda não sabemos, notícias que não lemos, memes que não conhecemos. Você não quer ficar de fora do que está rolando. E é isso que faz com que as pessoas estejam sempre checando suas redes sociais. Logo quando acordam, antes de dormir e até mesmo durante as refeições.
Você, multipotencial, além sentir a necessidade de saber o que seus amigos e colegas estão fazendo e se comparar com eles, também sente medo de estar perdendo um aprendizado interessante ou uma informação que pudesse ser útil para sua vida profissional ou pessoal.

PROCRASTINAÇÃO: A ARTE DE DEIXAR PARA AMANHÃ

O excesso e a necessidade de não perder nada e estar sempre consumindo o máximo de informações possíveis, podem ocasionar um outro problema: a procrastinação.
Procrastinar é o ato de realizar uma atividade prazerosa no lugar de uma ação importante, deixando-a para depois. Como aprender e absorver novas informações são atividades prazerosas para quem é multipotencial, elas podem ser motivo de procrastinação para você. E, ao invés de focar nas atividades mais difíceis e complexas que precisa concluir para atingir seus objetivos, você prefere pesquisar, ler e absorver novas informações.
A pessoa que procrastina sabe o que precisa fazer e sofre de estresse e sentimento de culpa. Esse é um processo normal, que pode se tornar um problema se ocorrer com muita frequência e começar a atrapalhar seus objetivos e projetos.
É possível, sim, completar suas atividades nos 45 minutos do segundo tempo. O problema é que nem sempre você tem prazos (com pessoas que não sejam você mesmo) para os projetos mais importantes da vida. É fácil virar a noite e entregar um relatório ou estudar para uma prova no último minuto. O difícil é dar o primeiro passo (e o segundo, o terceiro, …) para atingir objetivos que não foram combinados com ninguém. Como começar um negócio próprio, voltar a estudar ou fazer uma transição de carreira.
E é aí que está o problema da procrastinação. Veja o TED Talk do famoso blogueiro Tim Urban onde ele apresenta, com muito bom humor, o dilema dos procrastinadores.

Como lidar, então, com a multipotencialidade, o medo de ficar de fora, a procrastinação e o excesso de informação, tudo ao mesmo tempo?
Essa não é uma tarefa fácil. E é por isso que reuni algumas dicas valiosas de como conviver melhor com tudo isso. Experimente, como eu venho experimentando, adicionar algumas delas em sua rotina!

5 FORMAS DE LIDAR COM O EXCESSO DE INFORMAÇÃO SENDO MULTIPOTENCIAL

excesso de informação
Crédito: Unsplash
  1. Autoconhecimento e Metas

Primordial para a maioria das situações e problemas que enfrentamos na vida é o autoconhecimento. É importante que você se conheça profundamente. Assim, você vai entender o que gosta, o que quer para sua vida e o que é inegociável em suas relações. Com isso, fica mais fácil criar metas e objetivos que tenham a ver com sua visão de futuro e de sucesso.
E por que você precisa ter uma visão de futuro e de sucesso? Para ter bem claro quais são as coisas para as quais precisa dizer não. Em tempos de excesso, é preciso aceitar que você não vai conseguir absorver toda informação disponível. Então, precisará dizer não para algumas coisas, por mais dolorido que seja. Sabendo o que você quer, você poderá escolher melhor quais são os conteúdos mais importantes para que você alcance suas metas. Se você tem um porquê, é bem mais fácil dizer não.
Você é multipotencial e valoriza muito a informação, então é claro que também quer aprender apenas por prazer. Isso é normal e, inclusive, importante para que você se mantenha feliz e satisfeito. Mas, mesmo assim, é importante ter suas metas claras para que você possa priorizar. Afinal, seu tempo é limitado e a vida sempre será uma escolha de onde você está priorizando colocar seu foco e atenção.
  1. Criar novos hábitos

Hábitos são a forma que o cérebro humano encontrou para economizar energia. Para que ele funcione bem, não é possível que tenha foco e que precise reaprender as coisas 24 horas por dia. Por isso, desenvolveu-se um mecanismo onde as ações que praticamos com muita frequência tornam-se hábitos, pois o cérebro gasta pouca energia para realizar as ações habituais. E é por isso que quando você aprende a dirigir precisa de toda atenção para aquela atividade, que é difícil. E, depois de um tempo, dirigir se torna natural e não exige a mesma quantidade de atenção.
Os seus hábitos são extremamente importantes porque, uma vez instalados, não é fácil muda-los. Por isso, é preciso ter muito cuidado com hábitos ruins e que te prejudiquem de alguma forma. Por outro lado, incluir hábitos positivos no seu dia a dia pode te ajudar muito. Essas não são tarefas fáceis, mas vale a pena trabalhar nisso.
Os hábitos de estar sempre com várias abas abertas, deixar a caixa de entrada lotada e clicar em todo link que vê pela frente são ruins e estão fazendo com que o excesso de informação te atrapalhe. Por que não mudar isso conscientemente e adicionar um hábito positivo?
Uma boa ideia seria finalizar as atividades que são importantes antes de checar seu e-mail, olhar as notícias do dia ou navegar nas redes sociais. Assim, você não terá a tentação de olhar todos os links e ler sobre tudo que está relacionado. A ideia é: adicione o hábito de somente se jogar na infinidade de informações disponíveis após finalizar as atividades mais importantes do seu dia. Isso vai te ajudar muito a combater a procrastinação.
  1. Aceitação

A aceitação da multipotencialidade é um dos passos mais importantes e complicados para quem é multipotencial. Junto com ela, é preciso também aceitar que sim, você valoriza muito as informações e elas estão disponíveis em grande quantidade por vivermos nessa era da comunicação. Mas aceite também que seu tempo é limitado e não será possível consumir toda a informação que está aí.
Nesse sentido, aceitar as coisas como elas são não é uma forma de se acomodar. E sim um meio de parar de lutar com a realidade. Grande parte da sua frustração existe porque você se coloca objetivos inatingíveis em relação à quantidade de informação que tem capacidade de absorver. Se você parar de lutar contra você mesmo e contra o que é possível, vai economizar uma energia preciosa que pode ser usada de forma mais produtiva.
É preciso respeitar o corpo, seus limites e se planejar para fazer o melhor possível. Relaxar também é importante! E isso nos leva para o próximo tópico.
  1. A importância de descansar a mente

excesso de informação
Crédito: Unsplash
Sua tendência é estar sempre conectado e absorvendo novos conhecimentos, já que a informação é rápida, barata e disseminada. Mas, desconectar e descansar a mente é essencial.
Dormir bem previne a hipertensão, ajuda no controle de diabetes, melhora a coordenação física, fortalece o sistema imunológico, entre outros benefícios. E, principalmente, é durante o sono que o cérebro processa toda a informação acumulada durante o dia. Ou seja, perder seu momento de sono com o intuito de absorver mais informações, só vai fazer com que você não tenha como processar tudo que está aprendendo e transformar em um conhecimento de longo prazo.
Por isso, o descanso é importante. Existem alguns hábitos que você pode incluir em sua vida para facilitar a desconexão com o que aconteceu no dia e se acalmar para entrar em estado de relaxamento. Manter celulares e aparelhos eletrônicos fora do quarto é um desses hábitos. As luzes que emitem e a distração causada pelas notificações atrapalham muito o sono.
Criar um ritual para antes de dormir é outra ideia interessante. Ter um ritual diário vai fazer com que seu cérebro “entenda” que aquele é o momento de desconectar e descansar. Tomar um banho, ler um livro (físico, não no tablet ou kindle) ou tomar um chá são alguns exemplos.
  1. Meditação

Indicar meditação pode ser um pouco clichê. Mas quando o objetivo é ter mais foco, estar no momento presente e aceitar seu corpo e sua mente como eles são, é impossível não pensar na meditação como uma excelente ferramenta.
Pesquisas indicam que o hábito de meditar diminui o estresse e a ansiedade, além de aumentar o foco, a concentração e melhorar a memória. Por isso, praticar a meditação vai treinar seu cérebro para que ele absorva e retenha melhor as informações. E vai te ajudar a se concentrar no que está aprendendo no momento, o que diminui a ansiedade e o FOMO, pois você vai exercitar estar focado no presente.
Ao contrário do que muitos imaginam, essa é uma atividade simples de se começar, não é necessário conhecimento prévio, sentar de uma forma específica ou entoar mantras. A meditação do tipo mindfulness consiste em focar nas sensações que você está sentindo no momento presente e deixar os pensamentos e emoções passarem, sem julgamento, mas sem se apegar a eles.
Os aplicativos Headspace e Calm são ótimas ferramentas para iniciar! Nos dois casos, é possível começar a meditar gratuitamente e, se você quiser se aprofundar, pode pagar pela versão premium por um valor mensal.

 

ansiedade informação
Crédito: Unsplash
Você também sofre com o excesso de informação e a vontade infinita de aprender? Quais são as estratégias que usa para conviver melhor com isso?

Insira seu endereço de email abaixo para receber as atualizações do blog em primeira mão!

Outras referências:
http://www.forbes.com/sites/work-in-progress/2014/03/27/do-you-have-fomo-fear-of-missing-out/#243fc1da2391
http://www.huffingtonpost.com/2013/05/14/fear-of-missing-out-life-dissatisfaction-fomo_n_3275349.html
http://redeglobo.globo.com/globociencia/noticia/2013/09/excesso-de-informacao-pode-causar-exaustao-do-sistema-nervoso-central.html
http://www1.folha.uol.com.br/folha/dimenstein/imprescindivel/semana/gd020901a090901.htm

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

10 Comentários


  1. Parabéns pelo artigo! Depois dessa descrição da caixa de e-mail, tenho certeza absoluta que me enquadro como multipotencial . Sobre o TED do Tim Urban muito criativa a maneira dele explicar como acontece a procrastinação na mente das procrastinadores.

    Responder

  2. Me reconheci, nas questões que você citou e, adorei sua ajuda sobre a questao da procrastinação.
    Minha principal dificuldade ser resiliente no foco das prioridades.
    E o interessante é que já conhecia Tim Urban exatamente através deste vídeo do Ted.
    E postei esses dias no meu perfil uma outra matéria da Ano Zero comentando sobre o vídeo e dificuldade idem de evitarmos procrastinar…

    Responder

  3. Nossa Renata! Me reconheci muito no seu texto. Parabéns!!
    Eu faço exatamente TUDO o que foi abordado, e por isso me achava um ET solitário. rs!
    Sim eu tenho FOMO, sou escrava da caixa de e-mail, me envio vários e-mails para não esquecer de ver um assunto ou outro e procrastino demais; mas isso começou a me atrapalhar muito, e depois de ler vários textos e livros, de ver muitos vídeos de couch, comecei as 5 formas que citou para conseguirmos lidar com excesso de informação sem saber que isso realmente ajudaria. Digamos que estou no item 3 (Aceitação), tentando o restante (Relaxar e meditar).
    Certa vez li o livro: “12 semanas para mudar sua vida” do Augusto Cury e me identifiquei com alguém que tem a tal “Síndrome do pensamento acelerado” (Que vive pensando, pensando e um pensamento já se interliga com outro) será que podemos fazer alguma relação entre essa ‘síndrome’ e a multipotencialidade?
    Novamente parabéns! Beijos!

    Responder

    1. Oi Lúcia! Que legal que se identificou com o texto e as dicas!
      Você não está sozinha não hahaha
      Olha, que interessante! Não conheço esse livro, vou pesquisar mais sobre isso. Pode ser que tenha alguma relação sim!
      Muito obrigada 🙂
      Beijos!

      Responder

  4. Eu estava lendo isso e pensando que poderia muito bem ser uma descrição da minha vida. Neste momento estou com apenas nove abas abertas. Geralmente eu abro e deixo ali, de lado, esperando um tempo para ler, mas acabo encontrando algo mais interessante e deixo o que havia aberto pra lá. HAHAHAHAHA.
    Amei esse blog, virei seguidora mesmo.
    Obrigada por compartilhar esses conteúdos maravilhosos!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *